Letra da música
Rei da Caçada
Gildo de Freitas

LP Gildo de Freitas - Rei do Improviso (1972)


Lá nos pago adonde eu moro me chamo o rei da caçada
É a cousa que eu mais adoro sair abrindo picada
Ole, lai, lai, cortando galho de espinho
Para atirar de pertinho bem no olho da pintada

Minha arma de três canos o cano de baixo é bala
Azeitada com capricho que engatilho e nem estala
Olé, lai, lai, para encurtar o assunto
Cada tiro é um defunto depois que esta arma fala

No campo caço de rede, mas precisa três pessoas
Três home de agá malhusco que nem tempestade enjoa
Olé, lai, Lai, por isto que eu gosto da mata
Meus cachorros não dão rata eu não queimo cartucho à toa

É bonito de se vê eu e a onça de namoro
Levo a arma e pisco um olho não me faz mais desaforo
Ole, lai, lai, pra que ela não padeça
Eu atiro na cabeça pra não estragar o couro

Se a onça tá enfurnada vou aonde ela mora
Faço um barulho na toca e ela salta sem demora
Oai, oai já estou na posição
Com minha arma na mão de olho vivo na escora
Oli, lai lai, e horas diurna ou noturna
Eu tiro de dentro da furna e mato do lado de fora

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Lá nos pago adonde eu moro me chamo o rei da caçada É a cousa que eu mais adoro sair abrindo picada Ole, lai, lai, cortando galho de espinho Para atirar de pertinho bem no olho da pintada
Gildo de Freitas - Rei do Improviso de Gildo de Freitas

Com uma trajetória de sucesso Gildo de Freitas em seu LP Gildo de Freitas - Rei do Improviso, lançado em 1972, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Gildo de Freitas.

Parceiros