Letra da música
"Apúlio das Neves"
Pedro Ortaça

DVD Pedro Ortaça (2009)


Mentira não tem idade
Como os quebrantos e os breves...
Me chamo apúlio das neves,
Sempre falei a verdade!

Curtindo necessidades
Fui até passar a pronto,
Por isso os causos que eu conto
Tem forças de mil verdades!

...nós era quatro comigo,
O beijos vargas e eu.
O beijos vargas morreu,
Fiquei só eu meu amigo!

Da paleta de um tamanduá
Fiz tábua pra lavr roupa.
Seiscentas mulher lavavam,
Nenhuma estorvava a outra,
Distância de légua e meia
Tinha um quarador de roupa!

Nunca menti pra ninguém,
Meus causo a ciência explica...
Eu vi um avestruz nanica
Nos campos do itaroquém!

Noite de lua vermelha,
Mula do casco rachado,
Peixe morrendo afogado,
Lagarto com sobrancelha!

Podem me chamar de louco,
Mas eu já pegui a em trampa.
Desde o cururu de guampa
Até o lagarto pitoco!

Pra ensiná mal ensinado,
Que não respeita meu nome...
Eu fiz um relho trançado
Do couro do lobisomem!

Se não agüentar a ausência
Volto do céu amanhã
Pra minha velha querência
Nos campos do nhú-porã!


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

LÉGUA: Medida do sistema sexagesimal.

CAUSO: Conto, estória.

RELHO: Espécie de açoite.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Mentira não tem idade como os quebrantos e os breves... me chamo apúlio das neves, sempre falei a verdade!
Pedro Ortaça de Pedro Ortaça

Com uma trajetória de sucesso Pedro Ortaça em seu DVD Pedro Ortaça, lançado em 2009, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Pedro Ortaça.

Parceiros