Letra da música
Ânsia de Baile
Garotos de Ouro

LP Barbaridade Tchê (1989)


Esta música está disponível para ouvir

Na boca da noite meu pingo encilhado é hora entonado rodeado o palanque
O mês inteirinho lidando na estância e o clamor dessa ânsia não há quem estampe
Bombacha novinha comprei no bolicho e dê-lhe capricho num banho de sanga
Sorriso na cara que a amada me estampa me vou pra bailanta campeando uma tianga

E dele que dele que trote galope
Meu pingo estradeiro conhece este taita
E na ânsia de baile de china alvoroço
Parece que ouço resmungo de gaita

E dele que dele que trote galope
Meu pingo estradeiro conhece este taita
E na ânsia de baile de china alvoroço
Parece que ouço resmungo de gaita

Na volta do cerro na beira do pasto escuto compasso de gaita e pandeiro
Me apeio na frente do rancho barreado e não fico assustado no olhar do porteiro
Já pago e já entro e meu lá pra copa meus olhos se topa no olhar da morena
E eu penso comigo e esta que aparta e a noite por certo vai ser bem pequena

O sol vem olhar pelos fundos da quincha meu pingo relincha esperando por mim
Mas eu não me solto das mãos da morena e o baile que pena chegando ao fim
Mas levo a esperança gravada no rosto e o velho faz gosto e mandou convidar
Pra outro domingo firmar compromisso pois vai dar permisso pra nós namorar


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PINGO: Afetivo de cavalo de estimação.

ENTONADO: Soberbo, arrogante.

ESTÂNCIA: Grande estabelecimento rural (latifúndio) com uma área de 4.356 hectares (50 quadras de sesmaria ou uma légua) até 13.068 hectares (150 quadras de sesmaria ou três léguas), dividida em Fazendas e estas em invernadas.

BOLICHO: Pequena bodega.

TROTE: Andadura moderada dos eguariços.

CHINA: Mulher mameluca (primeira companheira do gaúcho).

RANCHO: Primeira habitação erguida no Continente de São Pedro, edificada com material que abundava no local (leiva, torrão, pedra ou pau-a-pique e barreado), coberto com quincha.

PAGO: Lugar em que se nasce, de origem

QUINCHA: Cobertura com santa-fé, macega ou folhas de palmeiras.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) na boca da noite meu pingo encilhado é hora entonado rodeado o palanque o mês inteirinho lidando na estância e o clamor dessa ânsia não há quem estampe bombacha novinha comprei no bolicho e dê-lhe capricho num banho de sanga sorriso na cara que a amada me estampa me vou pra bailanta campeando uma tianga
Barbaridade Tchê de Garotos de Ouro

Com uma trajetória de sucesso Garotos de Ouro em seu LP Barbaridade Tchê, lançado em 1989, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Garotos de Ouro.

Parceiros