Letra da música
Ao Tranco
Délcio Tavares

CD 10 Anos De Nativismo (1997)


Ao tranco largo numa noite de inverno
Com um ventito a dobrar o meu chapéu
Nem a lua se escapou do doze braças
E as estrelas se sumiram lá no céu

A nazarena acompanhando o vento norte
Que assobiava debruçado no aramado
E um lombilho a ringir em contraponto
Lembrando um baile de sapo no banhado

Que coisa linda andar à noite a tranco largo
Repontando uma tropilha de lembranças
Recorro o pampa no meu flete faz-de-conta
E volto à infância no petiço da esperança

O moiro é um mestre uma coruja atenta chia
Contemplando o andarengo desconfiada
E o zaino velho já andava até solito
Pois conhecia há muito tempo aquela estrada


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

TRANCO: Andadura lenta dos eguariços.

LOMBILHO: Espécie de arreio antigo.

TROPILHA: Coletivo de cavalos.

PAMPA: Descampados cobertos de vegetação rasteira onde a vista se estende ao longe; compreende desde a Província da Pampa Austral, ao sul de Buenos Aires (Argentina) até os limites do RGS com o Estado de Stª Catarina (Brasil).

FLETE: Cavalo bom e ligeiro, de tiro longo.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Ao tranco largo numa noite de inverno com um ventito a dobrar o meu chapéu nem a lua se escapou do doze braças e as estrelas se sumiram lá no céu
10 Anos De Nativismo de Délcio Tavares

Com uma trajetória de sucesso Délcio Tavares em seu CD 10 Anos De Nativismo, lançado em 1997, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Délcio Tavares.

Parceiros