Letra da música
Marca do Pampa
Tio Nanato

CD Home da Marca Antiga (2017)


Estou de volta na querência roxo de tanta saudade
Com o coração corcoveando de tanta felicidade
Peguei todas as minhas tralhas na pensão da antonieta
Disse adeus cidade grande babau, saracura preta

Não vou sair da campanha nem tapado de mutuca
Porque um macaco velho não mete a mão em cumbuca
Porque um macaco velho não mete a mão em cumbuca
Não vou sair da campanha nem tapado de mutuca

Quebrei a cara de cara com o tal de arranha céu
Nadando contra a maré de bota bombacha e chapéu
Esta vida nos ensina, mas primeiro nos judia
Eu aqui na minha terra era feliz e não sabia.

Um touro em outra querência é vaca quando se solta
E o costume de cachimbo nos deixa de boca torta
Na cidade é cola fina é diferente daqui
Eu quero tirar minhas pilchas só na hora de dormir

A onça me ensinou tudo esquecendo o pulo do gato
O tatu não é pra agua e ovelha não é pra mato
Eu disse que não voltava, mas dei de rédeas pra trás
Eu aqui na minha terra não vou sair nunca mais


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

QUERÊNCIA: Lugar onde se gosta de viver; se quer viver; lugar do bem-querer.

BOTA: Calçado com cano (curto, médio ou longo), feito de couro.

BOMBACHA: Calça-larga abotoada na canela do gaúcho

PILCHAS: Peças da indumentária (vestimenta) gaúcha de homem ou de mulher.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Estou de volta na querência roxo de tanta saudade com o coração corcoveando de tanta felicidade peguei todas as minhas tralhas na pensão da antonieta disse adeus cidade grande babau, saracura preta
Home da Marca Antiga de Tio Nanato

Com uma trajetória de sucesso Tio Nanato em seu CD Home da Marca Antiga, lançado em 2017, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Tio Nanato.

Parceiros