Letra da música
Alma de Fronteira
Cesar Oliveira e Rogério Melo

CD Com a Alma Presa na Espora (1996)


Chapéu tapeado pra enxergar de ponta a ponta
Lenço vermelho, bandeira de um maragato
Estampa guapa, tronqueira do nosso estado
Enforquilhado num baio "ovo de pato"

Espora buena, "buzinuda", tilintando
Marca o compasso do meu pingo troteador
Jeito atrevido de quem vem pedir "bolada"
Alma "tisnada" da poeira do corredor

Refrão:
Trago em reponte batidas de algum cincerro
Gritos de forma, por isso sou da fronteira
Meu berço xucro, sagrado torrão sulino
Onde um teatino cheira à terra de mangueira

Me criei taura laçando e boleando potro
E abrindo a perna de alguma "bolcada" feia
Quando preciso, abro o peito, companheiro
Por que um fronteiro não se "enreda nas maneias"

O meu cantar fala de doma e campereada
A minha voz é xucra igual berro de touro
E as minhas penas são queimaduras de laço
Que num "guascaço" nos deixa marcas no couro


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

TRONQUEIRA: Principal esteio de uma porteira.

PINGO: Afetivo de cavalo de estimação.

TEATINO: Pessoa ou animal sem eira e nem beira, mal trapilho, que vive em extrema pobreza; este vocábulo vem dos padres monásticos que faziam voto de pobreza, castidade e obediência

TAURA: Vivente que se pode recomendar.

DOMA: Adestramento.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Chapéu tapeado pra enxergar de ponta a ponta lenço vermelho, bandeira de um maragato estampa guapa, tronqueira do nosso estado enforquilhado num baio "ovo de pato"
Com a Alma Presa na Espora de Cesar Oliveira e Rogério Melo

Com uma trajetória de sucesso Cesar Oliveira e Rogério Melo em seu CD Com a Alma Presa na Espora, lançado em 1996, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Cesar Oliveira e Rogério Melo.

Parceiros