Letra da música
Gaita de Botão
Ramão Missioneiro

CD Orgulho Missioneiro (2012)


“Pequena, mas de talento,
De nobre estirpe pampeana,
Fidalga, xucra, haragana,
Solta de patas ao vento!
Se aportou neste rincão
Pra nunca mais ir embora
E se soltou campo à fora
Velha GAITA DE BOTÃO”!

Solita que veio ao mundo,
Atrevida e roncadeira
Com um sonido profundo
Ultrapassando fronteiras...
Veio lá do estrangeiro
Cortando mares ao meio
E fez morada no seio
Do meu pago missioneiro!
Minha gaita de botão:
“Verdulera” ou Botoneira,
Oito Baixos, Roncadeira,
Parceira do coração!
Por muitos anos terrunha:
Nos braços do Malaquias,
Eurides, do Tio Bilia
E do mestre Dedé Cunha!
Se aquerenciou nos galpões,
Querido traste andarengo.
Já fez dançar até rengo,
Já embalou corações.
Perdurou por gerações
E já foi quase esquecida,
Hoje, além de preferida,
É a rainha dos salões!

Ganhou a notoriedade
E o respeito nas bailantas.
“Sonido” – Do espanhol – “som”.
Encheu de felicidade
“Verdulera” – Gaita de pequeno porte utilizada
O coração das percantas.
pelos Argentinos para anunciar a venda de
Perambulou como tantas,
verduleras em feiras ambulantes.
Derrubou mil preconceitos
E conquistou seu direito
De mais baguala da pampa!


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PAGO: Lugar em que se nasce, de origem

TRASTE: Objeto de uso pessoal.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Pequena, mas de talento, De nobre estirpe pampeana, Fidalga, xucra, haragana, Solta de patas ao vento!
Orgulho Missioneiro de Ramão Missioneiro

Com uma trajetória de sucesso Ramão Missioneiro em seu CD Orgulho Missioneiro, lançado em 2012, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Ramão Missioneiro.

Parceiros