Letra da música
A Copla de Assoviar Solito
Wilson Paim

CD Acervo Gaúcho (COLETÂNEA) (1998)


Esta música está disponível para ouvir

Meu pai um dia me fazia moço
E me levando para camperear
Assoviava qualquer coisa doce
Como se fosse de luz de luar
Aquela copla que não era um hino
E era simples e era só sua
Ia amansando nossa vida adulta
Ia adoçando duas almas puras

A copla terna que meu pai trazia
Não transcendia para alguém mais eu
Era a essência do lugar da arte
Ensimesmada no seu próprio ser
Não se achegava ao redor do fogo
Nem vinha junto pro galpão da estância
Era parceira apenas campo afora
Só sem querer me acalentava a infância

Hoje a lo largo na cidade grande
Quando vagueio a procurar por mim
Me dou de conta assoviando a esmo
E me interrompo sem chegar ao fim
A minha copla de assoviar sólito
Tropeando ruas numa relembrança
É aquela mesma que meu pai trazia
Que estranhamente me deixou de herança

A copla terna que meu pai trazia
Não transcendia para alguém mais eu
Era a essência do lugar da arte
Ensimesmada no seu próprio ser
Não se achegava ao redor do fogo
Nem vinha junto pro galpão da estância
Era parceira apenas campo afora
Só sem querer me acalentava a infância


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PRÓPRIO: Estafeta que leva algo a outrem.

GALPÃO: Tipo de edificação que com o rancho forma um conjunto habitacional no RGS; numa Estância ou numa Fazenda, abriga o alojamento da peonada solteira, os depósitos de rações, almoxarifados, apetrechos, aperos, galpão-do-fogo, etc.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Meu pai um dia me fazia moço E me levando para camperear Assoviava qualquer coisa doce Como se fosse de luz de luar
Acervo Gaúcho (COLETÂNEA) de Wilson Paim

Com uma trajetória de sucesso Wilson Paim em seu CD Acervo Gaúcho (COLETÂNEA), lançado em 1998, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Wilson Paim.

Parceiros