Letra da música
Bamo Fazê Diferente
Gaúcho da Fronteira

CD Bailão do Gaúcho da Fronteira (2001)


Há tempo eu ouço conversa que a coisa vai melhorar
Quando as vacas botar ovo e cachorro aprender falar
Só que eu vou esperar deitado que é pra mim não se cansar.
Tente invente, invente tente faço algo diferente
Faça algo diferente, invente tente, tente invente

Que o país está doente e o povão tá descontente.
Sonhei que andava no campo ouvi gritos de quero-quero
Era um sonho colorido que me despertar não quero
E acordei com a tal mentira diz que a inflação era zero.
Não ei pra que santo rezo, nem pra quem peço socorro

Dizia uma pobre ovelha no meio de dez cachorros
Pois no fim desta peleia não sei se mato ou se morro
É isto que o povo quer, é isto que o povo herda
Já foi dito noutros versos pelo genival lacerda
Quem não rima, nem refresca e continua lesma lerda.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

BUGIO: Guariba, primata sul-americano.

PELEIA: Contenda, disputa, combate, luta, batalha.

POVO: Vila, distrito.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Há tempo eu ouço conversa que a coisa vai melhorar Quando as vacas botar ovo e cachorro aprender falar Só que eu vou esperar deitado que é pra mim não se cansar. Tente invente, invente tente faço algo diferente
Bailão do Gaúcho da Fronteira de Gaúcho da Fronteira

Com uma trajetória de sucesso Gaúcho da Fronteira em seu CD Bailão do Gaúcho da Fronteira, lançado em 2001, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Gaúcho da Fronteira.

Parceiros