Letra da música
Bochincho Com o Bolicheiro
Grupo Rodeio

CD Do Jeito que o Povo Gosta (2001)


Esta música está disponível para ouvir

Me acolherei com a chimarrita candongueira
E a polvoadeira tomou conta do galpão
(sopro de fole me faz sapatear na poeira
Dá-le cordeona dé-le xote vanerão) bis

Eu me boleio pro lado de uma orelhana
Sendo crinuda e dançadeira de verdade
(pois no surungo de campanha quero mana
Boleio a guampa e danço bem barbaridade) bis

Que bolicheiro malacara e sem respeito
Fica bombeando minha china no bolicho
(se já me esquento da garrucha dou de jeito
Pois sou vaqueano e pra jaguara não me micho) bis

Descarreguei minha garrucha no lampião
Pois o danado se agachou na hora certa
(se ouviam os gritos e os estouros de facão
Um taura macho nestas hora não se aperta) bis

Fiquei peleando mais ou menos meia hora
E o gaiteiro sempre firme no compasso
(se o aço arde já respondo sem demora
Pois vou batendo e vou levando alguns pranchaços) bis

Sai inteiro com o lombo todo riscado
Toquei prum lado minha sina de bochincheiro
(na bebedeira sai a laço curado
Mas a pinguancha carreguei pro meu terreiro) bis

Aqui no rancho a china ficou baldosa
Se vai pro campo e pros bailes do meu costado
(encostei a égua e carreguei pro bolicheiro
Tu me desculpe nós não nascemos grudados) bis


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

SURUNGO: Baile de baixa categoria.

CHINA: Mulher mameluca (primeira companheira do gaúcho).

GARRUCHA: Pistola de um tiro só e de carregar pela boca.

VAQUEANO: Prático e conhecedor do lugar.

TAURA: Vivente que se pode recomendar.

SINA: Destino, sorte.

LAÇO: Apero (acessório) trançado de couro cru, composto de argola, ilhapa, corpo e presilha.

PINGUANCHA: Pejorativo de moça jovem e vulgar.

RANCHO: Primeira habitação erguida no Continente de São Pedro, edificada com material que abundava no local (leiva, torrão, pedra ou pau-a-pique e barreado), coberto com quincha.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) me acolherei com a chimarrita candongueira e a polvoadeira tomou conta do galpão (sopro de fole me faz sapatear na poeira dá-le cordeona dé-le xote vanerão) bis
Do Jeito que o Povo Gosta de Grupo Rodeio

Com uma trajetória de sucesso Grupo Rodeio em seu CD Do Jeito que o Povo Gosta, lançado em 2001, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Grupo Rodeio.

Parceiros