Letra da música
Sinais Do Tempo
Gildo de Freitas

LP O Desafio do Padre e o Trovador (1966)


Esta música está disponível para ouvir

O nosso tempo atual mudou de antigamente
Ora quem é que não nota nosso clima diferente
Parece até um castigo do supremo onipotente
Por que vê tanta maldade no coração desta gente
Depois da seca torrante
Veio esta chuva gigante, sai a seca entra a enchente.

Parece até fim de mundo nem os amigos se entende
Preço nem se liga mais, nem quem compre, nem quem vende
A miséria desatou-se que não há mais quem emende
As nuvém de sentimento pego a chorar se desprendem
O sol também embrabece
Sob as nuvens ele desce e um raio de fogo acende.

Ao som da minha acordeona eu conto a verdade nua
Assim se vai nosso mundo, uns tão rico outros nas pua
Morando em palacete, outros morando na rua
Outros gastando bilhões para descobrir a lua
Quase um explodo profundo
Pra descobrir outro mundo e a miséria continua.

Vamos ser mais religiosos e pensar todos iguais
Que a bíblia sagrada marca que há muitos anos atrás
Se desfez o mundo em água e já deu alguns sinais
E se Deus não ouve reza
Embrabece nos despreza e não endireita mais

E o resultado é morrer
E depois o que vão fazer de tamanhos capitais.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) O nosso tempo atual mudou de antigamente Ora quem é que não nota nosso clima diferente Parece até um castigo do supremo onipotente Por que vê tanta maldade no coração desta gente
O Desafio do Padre e o Trovador de Gildo de Freitas

Com uma trajetória de sucesso Gildo de Freitas em seu LP O Desafio do Padre e o Trovador, lançado em 1966, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Gildo de Freitas.

Parceiros