Letra da música
Alerta Geral
Gildo de Freitas

LP Gildo de Freitas - O Rei dos Trovadores (1982)


Esta música está disponível para ouvir

(Lá pras bandas de Taquara e Santa Cristina do Pinhal
Deu-se uma história tristonha sobre a vida de um casal
A mulher fugiu de casa com seu fulano de tal
E trocou pela falsidade o seu viver colonial
Seu filhinho com dez anos na idade colegial
E ficou coitadinho sem ter da mãe um carinho
E seu pai sofrendo igual e o menino foi crescendo
Aborrecido, sofrendo com a dor daquele punhal
E o seu pai do mesmo jeito, sentia dentro do peito
Pouca força de moral
O resto vai ser cantado num simples verso rimado
Vejam que triste este final)

E o menino sempre sempre perguntava
Por sua mãe para o seu querido pai
A minha mãe foi embora pra cidade
E o senhor buscá-la quando vai?
O pobre pai para acalmar o seu filho
Muito tristonho era assim que respondia:
Os anos passam e você vai ficar moço
Vai a cidade ver a sua mãe um dia

Com esta resposta o menino foi crescendo
Seu coração sempre muito apaixonado
Porque a saudade que sofria pela mãe
É quem mantinha seu viver impressionado
E foi a ponto que este infeliz coitadinho
Sem um carinho vivendo assim recalcado
Pegou uma corda e amarrou no pescoçinho
E quando acharam tinha morrido enforcado

Parece até que aquela mesma corda
Tão assassina que não teve piedade
Fez uma armada prendendo a própria mãe
Trouxe de volta pra mesma localidade
Chegando em casa para rever o seu filho
Arrependida quase louca de saudade
Ao receber aquela cruel notícia
De revorciada perdeu a mentalidade

Esta letrinha que eu gravei com sentimento
Tão esporeada não foi pra ganhar dinheiro
Eu peço a deus que esta minha inspiração
Penetre mesmo por este mundão inteiro
Que todas as mães que existirem neste mundo
Principalmente neste meu solo brasileiro
Não abandonem seus lares abençoados
Deixando os filhos em tamanho desespero

Compartilhe

(letra e música para ouvir) (lá pras bandas de taquara e santa cristina do pinhaldeu-se uma história tristonha sobre a vida de umcasala mulher fugiu de casa com seu fulano de tale trocou pela falsidade o seu viver colonialseu filhinho com dez anos na idade colegiale ficou coitadinho sem ter da mãe um carinhoe seu pai sofrendo igual e o menino foi crescendoaborrecido, sofrendo com a dor daquele punhale o seu pai do mesmo jeito, sentia dentro do peitopouca força de moralo resto vai ser cantado num simples verso rimadovejam que triste este final)e o menino sempre sempre perguntavapor sua mãe para o seu querido paia minha mãe foi embora pra cidadee o senhor buscá-la quando vai?o pobre pai para acalmar o seu filhomuito tristonho era assim que respondia:os anos passam e você vai ficar moçovai a cidade ver a sua mãe um diacom esta resposta o menino foi crescendoseu coração sempre muito apaixonadoporque a saudade que sofria pela mãe É quem mantinha seu viver impressionadoe foi a ponto que este infeliz coitadinhosem um carinho vivendo assim recalcadopegou uma corda e amarrou no pescoçinhoe quando acharam tinha morrido enforcadoparece até que aquela mesma cordatão assassina que não teve piedadefez uma armada prendendo a própria mãetrouxe de volta pra mesma localidadechegando em casa para rever o seu filhoarrependida quase louca de saudadeao receber aquela cruel notíciade revorciada perdeu a mentalidadeesta letrinha que eu gravei com sentimentotão esporeada não foi pra ganhar dinheiroeu peço a deus que esta minha inspiraçãopenetre mesmo por este mundão inteiroque todas as mães que existirem neste mundoprincipalmente neste meu solo brasileironão abandonem seus lares abençoadosdeixando os filhos em tamanho desespero
Gildo de Freitas - O Rei dos Trovadores de Gildo de Freitas

Com uma trajetória de sucesso Gildo de Freitas em seu LP Gildo de Freitas - O Rei dos Trovadores, lançado em 1982, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Gildo de Freitas.

Parceiros