Letra da música
A Morte de um Potro
Cesar Oliveira e Rogério Melo

CD Alma de Fronteira (2003)


Esta música está disponível para ouvir

Na pata do potro
O talho do arame
Do sangue no pasto
O golpe no chão...
Se desata a rédea
E a campana do estrovo
Vai somando nos basto
Numa prece do rincão!

A morte de um pingo
Na lida da doma
É tristeza que assoma
No olhar de um campeiro...
Se vinha bandeando
Terceando com a espora
Num berro, que agora,
É silêncio ao potreiro!

Assim cruza o rastro
O índio vaqueano
Buscando o abandono
Do que amadrinhou;
Saber da trompada
Quem o viu contra o mato
E o potro veiáco
Se descogotou!

Retomam chilenas
E as cordas de arrasto
A cincha e os basto
Numa ausência de lombo...
Ficou um pedaço
De pampa estendido
E o pago sentido
No quadro de um tombo!

Talvez a querência
Anoiteça mais triste
Mas o campo se arrima
Na sorte de um outro...
Ficou mirada
Lembrando do estouro
Na falta do couro
Das garrão de potro!


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

TALHO: Ferimento produzido por objeto cortante.

GOLPE: Tem dois sentidos: impulso brusco ou negócio fraudulento de alarife.

POTRO: Cavalo novo que ainda não levou lombilho.

CINCHA: Apero da encilha que serve para apertar os arreios.

PAMPA: Descampados cobertos de vegetação rasteira onde a vista se estende ao longe; compreende desde a Província da Pampa Austral, ao sul de Buenos Aires (Argentina) até os limites do RGS com o Estado de Stª Catarina (Brasil).

PAGO: Lugar em que se nasce, de origem

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Na pata do potro O talho do arame Do sangue no pasto O golpe no chão...
Alma de Fronteira de Cesar Oliveira e Rogério Melo

Com uma trajetória de sucesso Cesar Oliveira e Rogério Melo em seu CD Alma de Fronteira, lançado em 2003, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Cesar Oliveira e Rogério Melo.

Parceiros