Letra da música
Baile Campeiro
Porca Véia

CD Novidade Velha (2002)


Num domingo de baile campeiro
Como aqueles que outrora se via
A peonada apronta os aprontes
Mal apontam as barras do dia.

A peonada apronta os aprontes
Mal apontam as barras do dia.

Pingos buenos de cascos groseados
A pelagem trançada a capricho,
Pilchas novas e botas lustradas,
Rumo ao baile a buscar um cambicho.

Pilchas novas e botas lustradas,
Rumo ao baile a buscar um cambicho.

Corredores se fazem artérias,
Convergindo pra mesma emoção,
Um surungo campeiro e serrano,
Num domingo qualquer do rincão.

Um surungo campeiro e serrano,
Num domingo qualquer do rincão.

Mal o sol sangra davia se esconde,
Pra o infinito acender seus lampeões,
Se entreveram bailando os gaúchos,
Numa mescla de três gerações.

Se entreveram bailando os gaúchos,
Numa mescla de três gerações.

E a cordeona que geme num canto,
Num estilo de fazer escola,
Vai soltando bugios galponeiros,
Pelas mãos de um gaiteiro pachola.

Vai soltando bugios galponeiros,
Pelas mãos de um gaiteiro pachola.

Num domingo de baile campeiro
Como aqueles que outrora se via
A peonada apronta os aprontes
Mal apontam as barras do dia.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

SURUNGO: Baile de baixa categoria.

CAMPEIRO: Vivente que monta bem e é hábil no serviço de campo.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Num domingo de baile campeiro como aqueles que outrora se via a peonada apronta os aprontes mal apontam as barras do dia.

Parceiros