Letra da música
Abre o Olho Com os Pardais
Porca Véia

CD Novidade Velha (2002)


Mas tchê, fui dar uma volta no meu rio grande
O que encontrei de tico-tico sabiá bentivi
Chopim a colherada com pardal então páh!

Fui visitar meu rincão
Que deixei quando guri
Meu rico chão adorado
Quase nem reconheci
Algumas regras e leis
Não tinham quando eu parti
A verdade não se oculta
Só deus sabe quanta multa
Nessa viagem recebi

Homem velho nos atenda
De uma olhada nos anais
Se espelhe em outro governo
Que há muitos anos atrás
Era um governo peleando
Pelos nossos ideiais
Hoje o meu pago graúdo
Tá faltando quase tudo
Só o que não falta é pardais

Me ajude companheiro
Tenha dó dos meus reais
Tô de poupança pelada
E a guaiaca esburacada
Do bico dos teus pardais

Me ajude companheiro
Tenha dó dos meus reais
Tô de poupança pelada
E a guaiaca esburacada
Do bico dos teus pardais

Multas, avisos, cobranças
Me chegam todo momento
Buraco pra entra no asfalto
Aguardam no acostamento
Está mal sinalizada
A noite que sofrimento!

E o pardal é necessário
Dizem que é pro bem do usuário
Mas que falta de argumento

E a mulher do meu compadre
Esses dias passou mal
A cidade que ele mora
Não tem recurso total
O vivente pegou o carro
E correu pra capital
Salvou sua companheira
Mas perdeu ponto e a carteira
Numa urgência pra o pardal

Me ajude companheiro
Tenha dó dos meus reais
Tô de poupança pelada
E a guaica esburacada
Do bico dos teus pardais

Me ajude companheiro
Tenha dó dos meus reais
Tô de poupança pelada
E a guaiaca esburacada
Do bico dos teus pardais

A votação foi perfeita
Deputados estaduais
Ir contra seus eleitores
E coisa que não se faz
Sei que os deputados sérios
Foram contra os pardais
E os "veiaco" vem de novo
Mas se depender do povo
Não se elege nunca mais

Turista que vem de fora
Visitar meu chão bagual
Com certeza não conhece
A palavra regional

Li o código de trânsito
Na esfera nacional
Também não encontrei
Mas ele tá lá na estrada
Dê-le multa no pessoal

Me ajude companheiro
Tenha dó dos meus reais
Tô de poupança pelada
E a guaiaca esburacada
Do bico dos teus pardais

Me ajude companheiro
Tenha dó dos meus reais
Tô de poupança pelada
E a guaiaca esburacada
Do bico dos teus pardais

Mas tchê só o que me falta agora
É coloca um pardal entre
A estância e o pontão tchê!


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PAGO: Lugar em que se nasce, de origem

GUAIACA: Cinturão de gaúcho, com algibeiras.

VIVENTE: Indivíduo, criatura, pessoa.

ESTÂNCIA: Grande estabelecimento rural (latifúndio) com uma área de 4.356 hectares (50 quadras de sesmaria ou uma légua) até 13.068 hectares (150 quadras de sesmaria ou três léguas), dividida em Fazendas e estas em invernadas.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) mas tchê, fui dar uma volta no meu rio grande o que encontrei de tico-tico sabiá bentivi chopim a colherada com pardal então páh! fui visitar meu rincão

Parceiros