Letra da música
Zaino-negro
Wilson Paim

CD Simplicidade (1999)


De crina negra topetudo aquele zaino
Meio aragano diferente da manada
Que retoçava pelo pampa peito erguido
Mui atrevido bem no meio da eguada
O Florismano foi quem regalou por bueno
Meio pequeno potrilho ainda me lembrei
Olhar atento atirando sempre o feio
Pingo faceiro para o 20 de setembro
Meu zaino-negro escarciador
Me leva pros braços do meu amor
Meu zaino-negro escarciador
Me leva pros braços do meu amor

De cola atada e bufando estrada a fora
Tinem esporas no andar bueno e macio
Olhando ao tranco as estrelas vão comigo
E um grilo amigo me convida ao assovio
As noites quentes e o fandango no povoado
Eu bem pilchado ía rever o meu amor,
Pois junto dela a vida é muito mais bonita
Linda mocita que inspira este cantor
Meu zaino-negro escarciador
Me leva pros braços do meu amor
Meu zaino-negro escarciador
Me leva pros braços do meu amor

No fim do baile cada qual mais satisfeito
Procura um jeito de mostrar contentamento
Palheiro acesso e o outro relinchando
Vão relembrando quem viveu melhor momento
E já no rancho ao chegar de manhã cedo
O zaino-negro vai direto pra aguada
E eu cansado lavo o rosto na gamela
Lembrando dela minha doce namorada
Meu zaino-negro escarciador
Me leva pros braços do meu amor
Meu zaino-negro escarciador
Me leva pros braços do meu amor

Me leva pros braços do meu amor
Me leva pros braços do meu amor.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) De crina negra topetudo aquele zaino Meio aragano diferente da manada Que retoçava pelo pampa peito erguido Mui atrevido bem no meio da eguada
Simplicidade de Wilson Paim

Com uma trajetória de sucesso Wilson Paim em seu CD Simplicidade, lançado em 1999, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Wilson Paim.

Parceiros