Letra da música
Aos Olhos do Amanhecer
Joca Martins

CD Sobre Um Homem Que Vinha Num Mouro (2006)


Esta música está disponível para ouvir

Tal se o amanhã dependesse
De um cantar de importância
Um galho acende a vida
Da geografia da estância

Tal se o amanhã dependesse
De um mate na madrugada
Quando o sol canta de galo
Cuias se quer tão lavadas

Que tal se o amanhã dependesse
De um causo ao pé do fogo
E histórias de três ontonte
Que o avô canta pro novo

Talvez o amanhã dependa
Da memória dos galpões
Rastros da história gaúcha
Pelas manhãs dos fogões
{repete}

Talvez o amanhã dependa
Daquilo que se repete
Almas que foram de outrora
Hoje encilhando fletes

Por isso sempre amanhece
Tudo meio que era
Homens, galos e rodeios
Com seus estilos de terra

Porque o amanhã é um passado
Feito de longas esperas
Definindo a cada dia
O que aprendeu com a terra

Talvez o amanhã dependa
Da memória dos galpões
Rastros da história gaúcha
Pelas manhãs dos fogões
{repete}


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

MATE: Só é mate se tiver algum jujo (chá) junto com a erva.

CAUSO: Conto, estória.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Tal se o amanhã dependesse De um cantar de importância Um galho acende a vida Da geografia da estância
Sobre Um Homem Que Vinha Num Mouro de Joca Martins

Com uma trajetória de sucesso Joca Martins em seu CD Sobre Um Homem Que Vinha Num Mouro, lançado em 2006, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Joca Martins.

Parceiros