Letra da música
Nos Braços da Fandangueira
Dionísio Costa

CD Poeta e Cantador (2008)


Esta música está disponível para ouvir

(Dionísio Costa)

De bombacha e crina baixa, eu vou sacudir a graxa
Na lida ninguém me acha, que hoje eu me vou pra folia
Tem festança, trago e dança e a saudade não se amansa
Vou gineteando a esperança, de ver aquela guria
Mês passado no povoado, no entrevero d’um bailado
Com olhar embodocado, fez promessa de namoro
E na hora de ir embora, foi espichando a demora
Vendo eu cutucar a espora, sorriu engolindo o choro

Na vanera bem campeira, vou fazer subir a poeira
Nos braços da fandangueira, quero amanhecer bailando
Nem cachaça, nem fumaça, hoje vício não me abraça
Que essa vida logo passa e eu não vou ficar sobrando

Não receio ‘zóio’ feio, fui criado nos 'arreio'
E bagual que eu “dô’ um passeio, vira um pingo de patrão
Não é prosa, é pavorosa, minha vida é perigosa
Mas a lida mais custosa, é taurear a solidão
Por isso que me enfeitiço, com aquele olhar mestiço
Que à muito tempo eu cobiço, pra iluminar minha estrada
Firmo o passo no compasso, pra deixar de ser escasso
Um sorriso e um abraço, no fim de cada jornada


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

BOMBACHA: Calça-larga abotoada na canela do gaúcho

ENTREVERO: Mistura e confusão de pessoas, animais ou coisas.

BAGUAL: excelente, bom, ótimo ou cavalo xucro

PINGO: Afetivo de cavalo de estimação.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) (Dionísio Costa) De bombacha e crina baixa, eu vou sacudir a graxa Na lida ninguém me acha, que hoje eu me vou pra folia
Poeta e Cantador de Dionísio Costa

Com uma trajetória de sucesso Dionísio Costa em seu CD Poeta e Cantador, lançado em 2008, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Dionísio Costa.

Parceiros