Estouro de Tropa


A tropa vinha assombrada, caminhava e não deitou
Por volta da madrugada o segundo quarto pegou
Tava arrumando os arreio e um quero-quero gritou
E eu disse pros companheiro: a nossa tropa estourou.

Estava na ronda o patrício, o locario, o lico e o bentão
Também vinha o chico souza, o maurante, o josé e o carlão
Vinha também o djalma arrumando os redomão
E eu que era o capataz ia da tropa ao fogão.

Mas deus andava na terra e estava junto comigo
E fui recorrer a invernada pra ver onde havia perigo
Olhar alguma sanga braba porque havia pressentido
Que a tropa ia correr e eu sempre fui precavido.

Pra isso estava chovendo e o capim estava molhada
No que saí vi um tropeiro de a pé e todo embarrado
Me disse ele: - e u rodei, meu cavalo esta quebrado
E os companheiros eu não sei de certo estão com gado.

Eu me encontrei com a tropa bem no meio da invernada
Quando escutei um rumor ele vinha arrematada
Dei-lhe uns tiro para cima abri bem forte a minha goela
E o patrício velho vinha peleando no corpo dela.

A tropa quando se assombra na ronda sempre dispara
Quando o tropeiro se assusta grita ovo e salta clara
Não corra na ponta amigo que é um perigo, meu irmão
Se atire sobre o fiador e deixe que floche o garrão

Sobe a costa do butui no coração do banhado
Bem no miolo do boi por ali que eu fui criado
Laçando maneando tropa faturando gado alçado
Largando rumo a pelotas, tupã, rio grande ou rosário.

Compartilhe

Parceiros