Letra da música
A Don Ávila e Seu Tobiano
Leonel Gomez

CD Continente (2004)


Vem neste tranco que é marcha
Pra flor do batismo que à tarde se atora
Chega ao saleiro que a vida
Lhe traz com a bebida a saudade que adora

Um cerne puro de campo
Que assoma ao tranco na hora clavada
Sabia o tubiano que a cincha
Se afroxa ao palanque na frente da aguada

Buenas noches... me serve um liso!
Buenas noches... rincão, paraíso!
Entre dois goles de canha
Ilumina a campanha ao sabor da distância

De pronto já tenho fiador
Quem cruzou corredor
Dando espaldas à estância

Que magia terá esta copa
Quando a alma se topa escorado ao balcão
Será um vício maior que a bebida
Dar sentido pra vida num sem-fim de rincão
São três lisos e uma hora de assunto
Pra saber de um defunto algum vivo de más
Atacaram a eguada que vinha
Cruzando na linha de volta pra trás

De pronto já tenho fiador
Quem cruzou corredor
Dando espaldas à estância

Pedro escobar, bolichero
Estende o bacheiro e o tobiano relincha
Mais uma noite estrelada
E na frente da aguada se apertam as cincha

Buenas noches... me serve um liso!
Buenas noches... rincão, paraíso!
Entre dois goles de canha
Ilumina a campanha ao sabor da distância


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

TRANCO: Andadura lenta dos eguariços.

PALANQUE: Esteio grosso e forte, onde se amarram animais.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Vem neste tranco que é marchapra flor do batismo que à tarde se atorachega ao saleiro que a vidalhe traz com a bebida a saudade que adoraum cerne puro de campoque assoma ao tranco na hora clavadasabia o tubiano que a cinchase afroxa ao palanque na frente da aguadabuenas noches... me serve um liso!buenas noches... rincão, paraíso!entre dois goles de canhailumina a campanha ao sabor da distânciade pronto já tenho fiadorquem cruzou corredordando espaldas à estânciaque magia terá esta copaquando a alma se topa escorado ao balcãoserá um vício maior que a bebidadar sentido pra vida num sem-fim de rincãosão três lisos e uma hora de assuntopra saber de um defunto algum vivo de másatacaram a eguada que vinhacruzando na linha de volta pra trásde pronto já tenho fiadorquem cruzou corredordando espaldas à estânciapedro escobar, bolicheroestende o bacheiro e o tobiano relinchamais uma noite estreladae na frente da aguada se apertam as cinchabuenas noches... me serve um liso!buenas noches... rincão, paraíso!entre dois goles de canhailumina a campanha ao sabor da distância
Continente de Leonel Gomez

Com uma trajetória de sucesso Leonel Gomez em seu CD Continente, lançado em 2004, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Leonel Gomez.

Parceiros