Letra da música
Final de Lida
Jader Duarte

CD Escritos do Tempo (2018)


Curei o rebanho compus paços, alambrados
Agora a noite guarda o sol em seus peçoelos
A gadaria recolheu-se ao paradouro
Me vou voltando tendo estrela por sinuelo
Final de lida, emalo a vida e vou pras casas
Asas ao flete, num trotão batendo a marca
E o coração na direção de quem me espera
Planta quimeras pelo leito das estradas
Se alguma chuva vem testar as “precisão”
Desabo o “preto” vou terceando com o tempo
Encanzinado pra cambear o frio dos campos
Pelo ajoujo do amor onde me aquento
Final de lida, emalo a vida e vou pras casas
Asas ao flete, num trotão batendo a marca
E o coração na direção de quem me espera
Planta quimeras pelo leito das estradas
Já nas casas, raciono cusco e zaino
Tenho amanhã de recorrer outra invernada
Retribuo o sorriso dos piás
Me refaço, ganho nos braços da amada
Final de lida, emalo a vida e vou pras casas
Asas ao flete, num trotão batendo a marca
E o coração na direção de quem me espera
Planta quimeras pelo leito das estradas
Era, era, era, era, era, era, era amor!

Letra: Beto Barros
Música: Adilson Moura
Violão: Maurício Lopes
Acordeon: Jackson Fabrício

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Curei o rebanho compus paços, alambrados Agora a noite guarda o sol em seus peçoelos A gadaria recolheu-se ao paradouro Me vou voltando tendo estrela por sinuelo
Escritos do Tempo de Jader Duarte

Com uma trajetória de sucesso Jader Duarte em seu CD Escritos do Tempo, lançado em 2018, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Jader Duarte.

Parceiros