Letra da música
Pago Santo
Telmo de Lima Freitas

LP De Marcha Batida (1994)


Quem não souber do pago santo de onde eu venho

Tenho prazer de lhes dizer da onde é que sou
Sou do garrão deste brasil, sou missioneiro

Capim rasteiro que do nada se criou.
Trago na alma a cantiga do meu pago

Rondas de tropa, pastoreio e pó de estrada
Cantar de esporas num trotezito chasqueiro

Que um missioneiro não se esquece nem por nada.
Trago o calor de pai de fogo galponeiro

Brazedo rubro, por do sol que vai de por
Foi essa termpla que me fez enraizado

Olhar voltado pro pavilhão tricolor.
Trago a querência na garupa do meu pingo

Cantar dos ventos nas cordas do violão
Uma tropilha de esperança extraviada

Entropilhadas vem pastar no coração.
Se por acaso estropiar o meu cavalo

Que eu não consiga prosseguir minha jornada
Há de ficar minha cantiga missioneira

Junto da poeira que se erguer n'alguma estrada.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PAGO: Lugar em que se nasce, de origem

CHASQUEIRO: Quem leva o chasque (estafeta).

QUERÊNCIA: Lugar onde se gosta de viver; se quer viver; lugar do bem-querer.

GARUPA: Anca.

PINGO: Afetivo de cavalo de estimação.

TROPILHA: Coletivo de cavalos.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Quem não souber do pago santo de onde eu venho Tenho prazer de lhes dizer da onde é que sou Sou do garrão deste brasil, sou missioneiro
De Marcha Batida de Telmo de Lima Freitas

Com uma trajetória de sucesso Telmo de Lima Freitas em seu LP De Marcha Batida, lançado em 1994, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Telmo de Lima Freitas.

Parceiros