Letra da música
Contigo me Vou de Tiro
Luiz Marenco

CD O Primeiro Canto (2018)


Contigo me vou de tiro
Pouco me importa a jornada
Ao tranco o primeiro suor
Ao trote o resto da estrada

Não caminho acolherado
Nunca fui cabresteador
Andei entortando argola
Rebentando cinchador
Mas me topei com teu rastro
Me fui de tiro e de amor

Me cantaste tua milonga
Bordão e prima estirada
E eu que vivia delongas
De peito e corda cansada

Contigo me fui de tiro
Pra te escutar pela estrada
É tua voz que eu prefiro
Quando já não ouço nada
Tu me maneia(s) os fantasmas
Povoação das madrugadas

Eu e tu na mesma ronda
Tapados da mesma geada
Andamos na mesma sombra
Sobre o campo projetada

Depois que fixei teu rosto
E me encandeou teu olhar
Me fui de tiro por gosto
Do gosto de te mirar

E ganho o mundo contigo
De tiro e tanto te amar.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

TRANCO: Andadura lenta dos eguariços.

TROTE: Andadura moderada dos eguariços.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Contigo me vou de tiro Pouco me importa a jornada Ao tranco o primeiro suor Ao trote o resto da estrada
O Primeiro Canto de Luiz Marenco

Com uma trajetória de sucesso Luiz Marenco em seu CD O Primeiro Canto, lançado em 2018, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Luiz Marenco.

Parceiros