Letra da música
Deserdado
Luiz Marenco

CD O Primeiro Canto (2018)


O índio incréu pensa sozinho
Não há caminho da terra ao céu

Mateia e pensa que fim levaram
Os que mataram a minha crença

Tinha o pajé que tinha o deus
Não são mais seus perdeu a fé

Ficaram rimas última herança
E na lembrança cruz e batinas

E a cruz solita pedra entalhada
Contempla o nada sonho jesuíta

Olha o mundéu da noite baixa
E a lua guacha a passear no céu

Céu guarani dos tempos novos
Sem as guainitas dos sete povos
Tecendo rendas de inhanduti

Ficaram ruínas última herança
E na lembrança cruz e batinas


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

MUNDÉU: Ardil que serve para capturar pequenos animais.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) O índio incréu pensa sozinho Não há caminho da terra ao céu Mateia e pensa que fim levaram
O Primeiro Canto de Luiz Marenco

Com uma trajetória de sucesso Luiz Marenco em seu CD O Primeiro Canto, lançado em 2018, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Luiz Marenco.

Parceiros