Letra da música
Alvorada Fronteira
Quarteto Pampa

CD Canta Anomar Danúbio Vieira - Metendo Corda (2017)


Letra: Anomar Danúbio Vieira

O tropel da cavalhada
Retumbando no varzedo
Num hino de pago e terra
É um clarim de manhã cedo

Acordando a pátria pampa
Chama a peonada pra lida
Porque o dia pede cancha
No ritual da recolhida

Afloram honra e raiz
Quando se enfrena um cavalo
Ao som primeiro dos galos
Cá no garrão do país

Essa alvorada fronteira
Que vem brotando dos campos
Apaga a luz das estrelas
E o lume dos pirilampos

Essa alvorada fronteira
Que vem brotando dos campos
Apaga a luz das estrelas
E o lume dos pirilampos

A noite, que foi se embora
Toda encilhada de lua
Cedeu poemas pra aurora
Forjando rimas charruas

Foi mergulhar nos açudes
Afogando seus faróis
E a negra paz das quietudes
Rompeu-se às lides de sóis

Os mates ficam lavados
Se queda triste o galpão
Quando a silhueta de um peão
Troteia pra o descampado

O pai de fogo conserva
O braseiro em nostalgia
Mais tarde, se vira a erva
Pra o mate do meio dia

Afloram honra e raiz
Quando se enfrena um cavalo
Ao som primeiro dos galos
Cá no garrão do país

Essa alvorada fronteira
Que vem brotando dos campos
Apaga a luz das estrelas
E o lume dos pirilampos

Essa alvorada fronteira
Que vem brotando dos campos
Apaga a luz das estrelas
E o lume dos pirilampos

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Letra: Anomar Danúbio Vieira O tropel da cavalhada Retumbando no varzedo
Canta Anomar Danúbio Vieira - Metendo Corda de Quarteto Pampa

Com uma trajetória de sucesso Quarteto Pampa em seu CD Canta Anomar Danúbio Vieira - Metendo Corda, lançado em 2017, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Quarteto Pampa.

Parceiros