Letra da música
Pega de Potro
Telmo de Lima Freitas

LP Alma de Galpão (1980)


Um zaino negro tapado,
Potro de pega recente,
Que o domador de contente
Pediu de primeira mão.
O capataz campeiraço,
Conhecido Ruivo Catcho,
Por supuesto muy buenacho,
Vaqueano na profissão.
Primeiro foi o batismo
Do cavalo Lobisomem,
Flete talhado pra homem,
Para qualquer ocasião.
21 dias de pega,
Compromisso de entregá-lo,
Para servir de cavalo,
Montaria de patrão.
Desde o primeiro galope, já prometia,
Menos de 21 dias, dava um pingaço de lei.
São esses homens, patrícios, que domam a própria vida,
Trabalhando nesta lida que por muito trabalhei.
São eles velhos ginetes,
Peonados pelas estâncias,
Que por muitas circunstâncias
Não saem do seu lugar.

Parece até que nasceram
Em berço de madrugada,
Trazendo as mãos calejadas
Pelas rédeas de domar.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Um zaino negro tapado, Potro de pega recente, Que o domador de contente Pediu de primeira mão.
Alma de Galpão de Telmo de Lima Freitas

Com uma trajetória de sucesso Telmo de Lima Freitas em seu LP Alma de Galpão, lançado em 1980, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Telmo de Lima Freitas.

Parceiros