Letra da música
Gaudério e Meio
Telmo de Lima Freitas

LP Alma de Galpão (1980)


(Tanto vai, tanto vem
Que essa vida de gaudério
Não é boa pra ninguém.) Bis
(Tanto vai, tanto vem,
Essa vida de gaudério
A lo largo não convém.) Bis

Pra quem foi gaudério e meio
Apenas por comprazer
Vive lembrando dos pagos
Até mesmo sem querer
Eu vivo cá nas estância
Do rincão onde eu nasci
Por isso não me perguntem
Porque cheguei até aqui...

Embora vivendo longe
Rezarei minha excelência
Pra morrer com a cabeça
Voltada para a querência
De verso trago este canto
Com cheiro de manancial
Se integra mas não se entrega
Por meia dúzia de real...

Quando entristeço por dentro
Meu pinho também gagueja
Misturo minhas tristezas
Num chazito de carqueja
E fico pronto pra outro
Coraçonaco qualquer
Agora eu já tenho rancho,
Pingo, carinho e mulher...

Compartilhe

(letra e música para ouvir) (Tanto vai, tanto vem Que essa vida de gaudério Não é boa pra ninguém.) Bis (Tanto vai, tanto vem,
Alma de Galpão de Telmo de Lima Freitas

Com uma trajetória de sucesso Telmo de Lima Freitas em seu LP Alma de Galpão, lançado em 1980, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Telmo de Lima Freitas.

Parceiros