Letra da música
Amansador das Estradas
Luiz Marenco

CD Sul (2016)


Destapou lá na coxilha
Volteando as cova' de touro
Vinham dobrando flechilha
Quatro rosilho' e três mouro'

Duas égua' douradilha'
Vêm se assustando da sombra
E um baio da anca redonda
Pintando o suor nas virilha'

São baguais destas estâncias
Entregues pro Coraldino
Que conhece a circunstância
De balda, xucro e ladino

Amansador das estradas
O último domador
A vida num maneador
Num par de rédeas, mais nada

Encerrou a cavalhada
Chiflando ao trote estradeiro
D'um ruano marca borrada
Recém agarrando o freio

Desdobrando o maneador
Travesseiro dos arreio'
Perguntou pro Artidor
Pelos bagual' de janeiro

"Pra bem de achar os atalho'
Foi demarcando a fronteira
Com a milhã da basteira
Furada a suor de cavalo"

Logo justou com o patrão
Pegar um zaino cabano
Duas lobuna' e um lazão
Serviço pra quase um ano

Pra pagar depois do enfreno
Um salário por bagual
Desses escrito' em pequeno
Nas livreta' dos mensual'

De manhã, puxou de baixo
De tarde, galopeou os potro'
Sem nunca frouxar o braço
Um bagual depois do outro

Duas semanas de lida
Com a doma bem adiantada
Botou os redomão' na estrada
Pra amansar à moda antiga

Na estância, não voltou mais
Um dia trouxeram os pingo'
Cavalos de apartar touro
Depois, passear num domingo

Uns dizem: -Trocou de ponta
Outros, que foi manotaço
Pra mim, que sem se dar conta
O pala apagou seu rastro

Destapou lá na coxilha
Volteando as cova' de touro

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Destapou lá na coxilha Volteando as cova de touro Vinham dobrando flechilha Quatro rosilho e três mouro
Sul de Luiz Marenco

Com uma trajetória de sucesso Luiz Marenco em seu CD Sul, lançado em 2016, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Luiz Marenco.

Parceiros