Letra da música
Bailanta do Fundão
Grupo Candieiro

CD Pra Galera do Bailão (0)


A indiada bate coxa na bailanta do fundão
Se acolhera com as morochas na penumbra do lampião oi
Num tal de espicha e encolhe a gaitita se desmancha

Pelo trote deste fole até a noite pede cancha
A guampa cheia de canha, vai de um lado pro outro lado
E o chinaredo se assanha neste surungo largado

Numa prosa ao pé da orelha, o xiru roça o bigode
Na bochecha bem vermelha, da changa que se sacode
E prossegue o mano a mano a lo largo no galpão
Num tal de vamo-que-vamo na bailanta do fundão

Não existe China feia, nem gaudério remanchão
E quando a gaita corcoveia, todo mundo dá de mão
Quando o Sol ardendo em brasas no fundão dá os costados
Os casais se vão pra casa nesse cio dos namorados


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

TROTE: Andadura moderada dos eguariços.

CHINAREDO: bordel; onde fica o chinaredo

SURUNGO: Baile de baixa categoria.

CHANGA: Pequeno trabalho.

CHINA: Mulher mameluca (primeira companheira do gaúcho).

Compartilhe

(letra e música para ouvir) A indiada bate coxa na bailanta do fundão Se acolhera com as morochas na penumbra do lampião oi Num tal de espicha e encolhe a gaitita se desmancha
Pra Galera do Bailão de Grupo Candieiro

Divulgando seu trabalho, Grupo Candieiro no CD Pra Galera do Bailão, traz ao público que prestigia música gaúcha, que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul, grandes sucessos da música gaúcha. Veja a discografia de Grupo Candieiro.

Parceiros