Letra da música
Rio Grande dos Alambrados
Valdomiro Maicá

CD O Melhor de Valdomiro Maicá (2016)


(João Carlos Loureiro/Valdomiro Maicá/Nelson Theisen)

Alambrado, violão feito de arame
Que se estica lá nos campos do rincão
Duetando com o vento minuano
As canções de muitas gerações

É o poleiro do pelincho que valseia
Equilibrando, barulhento, em tuas cordas
Até a coruja que, pra muitos, agourenta
Faz pezinho nos palanque que te escora

Não foram poucos os estouros de matungos
Que fizeste teus encontros terminar
E os ponchos de tropeiros encharcados
Como bandeira tu escoraste pra secar

Alambrado, violão feito de arame...

Hoje, perdido aqui no povo onde vivo
Tenho vontade de sair pra te encontrar
E num rasgo de saudade e aconchego
Em teus palanques eu me escoro pra sestear

Alambrado, violão feito de arame...


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PELINCHO: Restos de pêlos de animais, que ficam nos alambrados.

PALANQUE: Esteio grosso e forte, onde se amarram animais.

POVO: Vila, distrito.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) (joão carlos loureiro/valdomiro maicá/nelson theisen) alambrado, violão feito de arame que se estica lá nos campos do rincão

Parceiros