Letra da música
Bailanta do Sapucay
Valdomiro Maicá

CD O Melhor de Valdomiro Maicá (2016)


(Salvador Lamberty/Valdomiro Maicá)

Sou barranqueiro lá da costa do Uruguai
Do silva rillo à bailanta do sapucay
Em cada balsa uma história pra contar
Muitos portos e pesqueiros perdidos no meu olhar
No contrabando ajudei meu velho pai
Vinha a costeira, se soltava um sapucay
Roncava a gaita num rancho de costaneira
Pra despistar a milícia da poderosa aduaneira

E dê-lhe gaita num vai-não-vai
O mundo se resumia à bailanta do sapucay

Quem foi costeiro guarda um rio dentro de si
E um chibeiro lá dos tempos de guri
Um som de gaita, de nossa arte sinuela
Já tomou banho de lua e já dançou com as estrelas
Eu vi o cindinho na poesia missioneira
E o cenair viu romance na fronteira
Nessa bailanta, chão batido e lamparina
O brasil, moreno claro, namorando argentina

E dê-lhe gaita num vai-não-vai
O mundo se resumia à bailanta do sapucay


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

RANCHO: Primeira habitação erguida no Continente de São Pedro, edificada com material que abundava no local (leiva, torrão, pedra ou pau-a-pique e barreado), coberto com quincha.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) (salvador lamberty/valdomiro maicá) sou barranqueiro lá da costa do uruguai do silva rillo à bailanta do sapucay

Parceiros