Letra da música
Saudade
Paullo Costa

CD De Alma, Campo e Saudade (2015)


(Marcus Vígolo/Paullo Costa)

Quando a saudade se chega, vem dando oh de casa
Batendo na porta do seu coração
O peito velho se estufa, se estriva nas mágoas
Matando a sede de uma paixão

A solidão da campanha tem coisas
Que a gente não sabe explicar
Grita bem alto e se nega, tentando dar coice
E querendo que a vida nos mostre o lugar

O mate verdeia a gosto prateando a boieira
Galopa no peito de um índio torena
Galopa no peito de um índio torena
Ah, se eu pudesse agora encilhar o flete
Pegar a estrada e buscar a morena

Galpão foi feito pra dois, meu galpão foi feito pra dois
Com plano ao terceiro, querência de andejo
Meus sonhos vertem primeiro

Compartilhe

(letra e música para ouvir) (Marcus Vígolo/Paullo Costa) Quando a saudade se chega, vem dando oh de casa Batendo na porta do seu coração
De Alma, Campo e Saudade de Paullo Costa

Com uma trajetória de sucesso Paullo Costa em seu CD De Alma, Campo e Saudade, lançado em 2015, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Paullo Costa.

Parceiros