Letra da música
A Troco de Nada
Mauro Moraes

CD Com Quarteto Milongamento (2003)


Esta música está disponível para ouvir

São lerdos os tições do lamento
E da inevitável tristeza
Quando a vida arrasta os arreios
Com seus fantasmas campo-fora

Tem horas que a gente se ausenta
Depois de quase perder a estima
Com o tempo entordilhando as melenas
E as léguas... pedindo freio

São ternos os galpões do silêncio
E da inseparável poesia
Quando o campo inspira a palavra
E a cuscada retoça na volta

Lá fora, a troco de nada
O coração repara os cavalos
O gado, e algumas ovelhas
E inteira... a alma cuida dos guaxos

Na armada do laço
O calor de um abraço
Intervala cada tirão
Apesar que na vida

Quando a mãe lambe a cria
O destino pede perdão
Me deixem feliz,
Não tem mágoa esta dor
A saudade não sabe onde estou!

Compartilhe

(letra e música para ouvir) São lerdos os tições do lamento E da inevitável tristeza Quando a vida arrasta os arreios Com seus fantasmas campo-fora

Parceiros