Letra da música
Amansando de Garupa
Mauro Moraes

CD Num Bolicho da Linha Melódica (2011)


Esta música está disponível para ouvir

Eu junto os segredos dormidos no pala
Se a noite resvala, aroma e sabor
Recolho da soga meu pingo que sabe
Porque em silêncio roubei uma flor.

Gelado de inverno, o orvalho de julho
Cabresto no punho e ainda ressona
O amor da cordeona, convite ao pecado
Com a china do lado sentei a carona.

Romance que encilho de noite, pampeiro
Permisso gaiteiro me chama um carinho
E levo na anca com cheiro de lua
A pluma que a noite soprou pra o meu ninho.

Eu junto os segredos dormidos no pala
Se a noite resvala, cordeona e luar
E amanso de anca meu mouro que sabe
Porque em silêncio roubei teu olhar.

Gelado de julho e a geada se estende
E a lua me entende, clarão no caminho
Me arranca os espinhos em um sopro materno
E esquenta o inverno com a flor do meu ninho.

Tranco largo, fim de noite
E a madrugada derramando o serenal
Tranco largo, o rancho é longe
E hoje amanso de garupa o meu bagual.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

SOGA: Corda de sisal.

PINGO: Afetivo de cavalo de estimação.

CHINA: Mulher mameluca (primeira companheira do gaúcho).

RANCHO: Primeira habitação erguida no Continente de São Pedro, edificada com material que abundava no local (leiva, torrão, pedra ou pau-a-pique e barreado), coberto com quincha.

GARUPA: Anca.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Eu junto os segredos dormidos no pala Se a noite resvala, aroma e sabor Recolho da soga meu pingo que sabe Porque em silêncio roubei uma flor.
Num Bolicho da Linha Melódica de Mauro Moraes

Com uma trajetória de sucesso Mauro Moraes em seu CD Num Bolicho da Linha Melódica, lançado em 2011, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Mauro Moraes.

Parceiros