Letra da música
Os 18 do Ambrósio
Os Serranos

LP Bandeira dos Fortes (1988)


Esta música está disponível para ouvir

Nos tempos do velho Ambrósio tinha graspa e canha pura
Pra levantar a pressão, amendoim e rapadura
Mocotó e reza braba, chá de arruda e benzedura

Que saudade dos dezoito, onde a força não faltava
O que viesse pela frente, o Ambrósio atropelava

O Ambrósio levantava só pra dançar o bugio
E a véinha comentava, ai, tá me dando um arrepio
Te acomoda, minha véia, que isso só pode ser frio

Que saudade dos dezoito, onde a força não faltava
O que viesse pela frente, o Ambrósio agasalhava

O Ambrósio só dançava, corcoveando a noite inteira
De gastar a sola das bota no bugio ou na vaneira
Hoje ele só treme as pernas quando ataca tossedeira

Que saudade dos dezoito, onde a força não faltava
O que viesse pela frente, o Ambrósio espetava

Pelas quatro da manhã o baile bem animado
E o Ambrósio tava mal, e dizia apavorado
É bobagem minha veia, não aguento, tô terminado

Que saudade dos dezoito, onde a força não faltava
O que viesse pela frente, o Ambrósio... matava!


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

BOTA: Calçado com cano (curto, médio ou longo), feito de couro.

BUGIO: Guariba, primata sul-americano.

TAVA: O osso do jogo-do-osso.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Nos tempos do velho Ambrósio tinha graspa e canha pura Pra levantar a pressão, amendoim e rapadura Mocotó e reza braba, chá de arruda e benzedura
Bandeira dos Fortes de Os Serranos

Com uma trajetória de sucesso Os Serranos em seu LP Bandeira dos Fortes, lançado em 1988, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Os Serranos.

Parceiros