Letra da música
Cena De Campanha
Leopoldo Rassier

CD Coletânea (0)


Letra: alcy cheuiche / nilo bairros de brum

os galhos, regendo o vento, balançam no temporal
atado pelo buçal, um potro estira o cabresto
molhando a melena moura, o velho peão caseiro
se atarefa no terreiro guardando trastes de arreios

É uma cena de campanha repassada em poesia
pedindo uma melodia com acordes de bandona
e uma guitarra crioula de ventre bem manuseado
no abraço apaixonado de um cantor pedindo vaza
no abraço apaixonado de um cantor pedindo vaza

firmando a barra da saia num jeito meio apressado
rosto de chuva lavado, maria recolhe a roupa
invocando santa bárbara, a velha guarda o machado
temendo que algum mandado venha lhe fazer seu pouso

É uma cena de campanha repassada em poesia
pedindo uma melodia com acordes de bandona
e uma guitarra crioula, de ventre bem manuseado
no abraço apaixonado de um cantor pedindo vaza
no abraço apaixonado de um cantor pedindo vaza

e a tormenta vai embora, assim no mais, como veio
acalmando o sarandeio dos ramos mexendo a brisa
o sol rebrilha nas folhas, recomeça toda a lida
o velho estilo de vida que eu juro que ainda existe

É uma cena de campanha repassada em poesia
pedindo uma melodia com acordes de bandona
e uma guitarra crioula, de ventre bem manuseado
no abraço apaixonado de um cantor pedindo vaza
no abraço apaixonado de um cantor pedindo vaza

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Letra: alcy cheuiche / nilo bairros de brum os galhos, regendo o vento, balançam no temporal atado pelo buçal, um potro estira o cabresto

Parceiros