Letra da música
Armas de Lida
Ita Cunha

CD Com Jeito de Campo (2014)


Esta música está disponível para ouvir

Letra: Mario de Lima Lucas
Música: Diego Camargo

Vem no rebojo do vento
Bem amarrado nos tentos
Meu ponchito bichará
Já desgastado da lida
Mas que não nega guarida
Pra onde quer que eu vá

Tô de sombreiro tapeado
Aba treze encouraçado
Minha quincha do dia-a-dia
Que escora as chuvas de agosto
Nas camperiadas do posto
Em léguas de sesmarias

Trago firme na mão
Um relho de três botão
Trançado à moda torena
E se o matungo "veaqueia"
Largo no meio da "oreia"
Pra deixar de ser ventena

Enrodilhado se entona
Costiando a aba da carona
Um quatro tentos pachola
Sempre bem apresilhado
Com doze braças trançado
Da presilha até a argola

Bem amarrada ao garrão
Estampa da tradição
Uma espora nazaren
Que corta qualquer sotreta
Quando firmo nas paletas
De algum matungo pavena

São minhas armas de lida
Nas camperiadas da vida
Por este Rio Grande a fora
Vou sempre no mesmo embalo
E bem montado a cavalo
A cada romper de aurora


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

QUINCHA: Cobertura com santa-fé, macega ou folhas de palmeiras.

RELHO: Espécie de açoite.

MATUNGO: Cavalo de pouca qualidade.

PRESILHA: Botão da mesma guasca, que serve para fixação.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Letra: Mario de Lima Lucas Música: Diego Camargo Vem no rebojo do vento
Com Jeito de Campo de Ita Cunha

Com uma trajetória de sucesso Ita Cunha em seu CD Com Jeito de Campo, lançado em 2014, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Ita Cunha.

Parceiros