Letra da música
A Sorte do Sem Vergonha
Gaúcho da Fronteira

CD Gaúcho Doble Chapa (2009)


Esta música está disponível para ouvir

Sempre vim tarde da farra, mas nunca perdi o cartaz,
Por que a mulher que me amarra, me ama e sabe o que faz.
Tem sempre um café passado e algumas coisitas más
Se achega e vem pro costado me amando e querendo mais.
Me da um abraço apertado e vem pro colo do pai.

(Me ama e não é ciumenta e é comigo que ela sonha
E a vizinhança comenta a sorte do sem vergonha.)

As vezes eu chego tarde das fuzarcas por ai,
Sei que to sendo covarde, mesmo assim tenho que rir
Te digo é pura verdade não to aqui pra me exibir
Eu chego, ela tá acordada faceira que é um lambari
Ali na cama sentada esperando pra nós dormir.

(Me ama e não é ciumenta e é comigo que ela sonha
E a vizinhança comenta a sorte do sem vergonha.)

Esses dias apeei do carro que vim de um forrobodó
Já entrei dando uns esparro perguntando qual é o pó.
Diz ela sou tua parceira, mas vai gritar com tua avó
Fiquei bem quieto e calminho e ela já ficou com dó
E foi fazer um chazinho de umas folhas de cidró

(Me ama e não é ciumenta e é comigo que ela sonha
E a vizinhança comenta a sorte do sem vergonha.)


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

FORROBODÓ: Bochincho, briga.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Sempre vim tarde da farra, mas nunca perdi o cartaz, Por que a mulher que me amarra, me ama e sabe o que faz. Tem sempre um café passado e algumas coisitas más Se achega e vem pro costado me amando e querendo mais.
Gaúcho Doble Chapa de Gaúcho da Fronteira

Com uma trajetória de sucesso Gaúcho da Fronteira em seu CD Gaúcho Doble Chapa, lançado em 2009, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Gaúcho da Fronteira.

Parceiros