Letra da música
Meu Fim de Mundo
Miguel Marques

CD 30 Anos (2012)


Esta música está disponível para ouvir

O meu lugar é um povoado pequeninho
Onde as pessoas reconhecem seu igual
É uma terra que escreveu o meu início
E é lá mesmo onde quero o meu final

E já ví gente chamando de fim de mundo
Este cantinho onde a paz tem endereço
Mal sabem êles que a grandeza desta vida
É ver um mundo sem ter fim e nem começo

(Qual o direito de chamar de fim de mundo
O chão bendito onde um dia alguém nasceu
Por certo é gente que não vê como eu enxergo
A terra mãe que com carinho deus me deu)

Ainda tem um chimarrão na vizinhança
E a inocência no olhar da criançada
E toda vez que eu saio lá do fim de mundo
Mal vejo a hora de voltar naquela estrada

Contemplo a noite com a alma enluarada
Em pensamento me dou conta da verdade
Andei lugares que há muitos impressionaram
Mas nenhum deles me sorriu felicidade (...)

Compartilhe

(letra e música para ouvir) O meu lugar é um povoado pequeninhoonde as pessoas reconhecem seu igualÉ uma terra que escreveu o meu inícioe é lá mesmo onde quero o meu finale já ví gente chamando de fim de mundoeste cantinho onde a paz tem endereçomal sabem êles que a grandeza desta vidaÉ ver um mundo sem ter fim e nem começo(qual o direito de chamar de fim de mundoo chão bendito onde um dia alguém nasceupor certo é gente que não vê como eu enxergoa terra mãe que com carinho deus me deu)ainda tem um chimarrão na vizinhançae a inocência no olhar da criançadae toda vez que eu saio lá do fim de mundomal vejo a hora de voltar naquela estradacontemplo a noite com a alma enluaradaem pensamento me dou conta da verdadeandei lugares que há muitos impressionarammas nenhum deles me sorriu felicidade (...)
30 Anos de Miguel Marques

Com uma trajetória de sucesso Miguel Marques em seu CD 30 Anos, lançado em 2012, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Miguel Marques.

Parceiros