Letra da música
Bailanta dos Bichos
Mano Lima

CD Batendo Estribo (2013)


Esta música está disponível para ouvir

Quem é aquele moço de chinelo grande
Que elegante caminha é o pato, é o pato
Disse a angolista
Assim deste jeito para a galinha
O marreco mui debochado
Deu uma risada assim qua, qua, qua
O pato não é de nada,
Ele é só elegante pra caminhar.
O sapo porteiro do baile
Cuidava os cascudos pra não deixar entrar
Pra manter a sua fama
Engolia cascudama pra não incomodar
O perdigão vinha da chácara
Com os pés sujos não pode dançar
Cravava o bico no chão
Eu sou o perdigão e pegou assobiar

O avestruz índio campeiro,
Só vendo o entrevero fazia um hum;
Vendo que o baile dos bichos
Ia dar reboliço, ia dar sururu
Mal a cigarra abriu o peito
E um certo sujeito já se apresentou
O gamba com a boca azeda
Quis beijar a galinha e o galo não gostou
O porco já virou a mesa
E foi pra cozinha e o veado disparou
O zorrilho com a cola erguida
No meio da sala em muitos mijou.

O sapo vendo a coisa feia,
Marimbondo e abelha que passam pra adiante
Escorado no baldrame
Dizia pro enxame gurizada avancem
Foi um entrevero danado
Quando o vespado entrou no salão
Abelha e marimbondo preto
E daqueles vermelho é brabo o ferrão
Deu um esparramo de bicho,
Até o pobre do ouriço pegou se bailar
Ficou só o gaúcho grilo
Tenteando um violino atrás do sofá


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

ENTREVERO: Mistura e confusão de pessoas, animais ou coisas.

GAÚCHO: Palavra de origem guarany, pois nessa língua não existe vocábulos com o som da letra “L”.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Quem é aquele moço de chinelo grande Que elegante caminha é o pato, é o pato Disse a angolista Assim deste jeito para a galinha

Parceiros