Letra da música
Bailezito
Ivonir Machado

LP Garoto Moleque (1994)


Mas oiga-lê bailezito, de índio de queixo duro

De descascar pirulito e ver estrela no escuro

De descascar pirulito e ver estrela no escuro
Mas oiga-lê bailezito, de índio de queixo duro
Surunguito de fronteira, cinchado barbaridade
De dar "cosca" nas cadeira, pra estas chinas da cidade

(bailezito galponeiro, tapado de pega-pega
Assim que acaba o candieiro, oiga-lê todos correm pras macegas)

Int.
É o covil do chinaredo que não tem muitas delongas
E pra não viver sozinho se acolhera nas milongas

E pra não viver sozinho se acolhera nas milongas
É o covil do chinaredo que não tem muitas delongas
Onde o quera doma a china com promessa de casório
E o quebra-quebra termina em casamento ou velório
( )int.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

CHINAREDO: bordel; onde fica o chinaredo

CHINAREDO: bordel; onde fica o chinaredo

DOMA: Adestramento.

CHINA: Mulher mameluca (primeira companheira do gaúcho).

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Mas oiga-lê bailezito, de índio de queixo duro de descascar pirulito e ver estrela no escuro
Garoto Moleque de Ivonir Machado

Com uma trajetória de sucesso Ivonir Machado em seu LP Garoto Moleque, lançado em 1994, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Ivonir Machado.

Parceiros