Letra da música
A Pau e Grito
Cesar Oliveira e Rogério Melo

CD Procedência (2009)


Esta música está disponível para ouvir

As nova corre pra porta
E as veia bate as janela
Quando eu cruzo na cancela
Disposto a me incomodar

Não sou muito de adular
Quem desfaz dos meus arreio
Saco, na trança do reio
E no grito de ui pá pá pá pá

Se abre as tampas pra fora
E atiro o caixão pra trás
É que sei como se faz
Embora não dê-lhes grito
Mesmo assim não facilito
Se o destino me provoca
Que até o demônio se entoca
Quando largo a pau e grito

E se o beiçudo se volta
Com ganas de me apertar
Não sou de me apavorar
Nem ando esquentando banco
Cruzo a perna e saio ao tranco
No grito de ui pá pá pá

Depois de me enforquilhar
Mando dá um tapa na cara
Se o velhaqueiro dispara
Muda o jeito de apanhar
Eu tenho sangue de ajá
Pulsando dentro das veias
E um pala franja vermelha
Pra fazer chá-rá-chá-chá

O dia separa a noite
E a sanga bota pra fora
Canta roseta na espora
Num sarandeio bonito
Vamo evitando conflito
Mas sempre impondo respeito
E o que é torto eu endireito
Quando largo a pau e grito


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PALA: Poncho leve de seda (para o verão), de algodão (para meia-estação) e de lã tramada ou bixará (para o inverno).

SANGA: Pequeno córrego, bossoroca.

BOTA: Calçado com cano (curto, médio ou longo), feito de couro.

ROSETA: Peça circular (dentada ou pontiaguda) da espora.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) As nova corre pra porta E as veia bate as janela Quando eu cruzo na cancela Disposto a me incomodar

Parceiros