Letra da música
Bandeira do Império
Cristiano Quevedo

CD Destinos (1999)


Esta música está disponível para ouvir

Quando o mundo veio à tona
Brotou o império pampeano
Já trazendo soberano
No trono de um flete baio

Carregando desfraldada
Uma bandeira prateada
No mastro do papagaio
Por destino esse monarca

Já nasceu enforquilhado
Seguindo o rastro do gado
Mato adentro e cerro abaixo
Domo sol, vento e garoa

Mas sempre teve a coroa
Sinchada no barbicacho
Só o garrão do continente
Resiste a qualquer tirão

Cada homem a cavalo
De quatro esteios no chão
Pois um índio de a cavalo
Tá enraizado no chão (2x)

Depois de riscar divisas
A casco e ponta de lança
Deixou plantada essa herança
No lombo das sesmarias

Pois um gaúcho montado
Vai palanquear nosso estado
Pela extensão dos seus dias
Por isso quando setembro

Trás fletes pras avenidas
Das páginas esquecidas
Renasce a lida campeira
É o rio grande que se entona

Nessa estampa que emociona
Tendo a espora por bandeira
Só o garrão do continente
Resiste a qualquer tirão

Cada homem a cavalo
De quatro esteios no chão
Pois um índio de a cavalo
Tá enraizado no chão (3x)

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Quando o mundo veio à tona Brotou o império pampeano Já trazendo soberano No trono de um flete baio
Destinos de Cristiano Quevedo

Com uma trajetória de sucesso Cristiano Quevedo em seu CD Destinos, lançado em 1999, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Cristiano Quevedo.

Parceiros