Letra da música
As Tamancas do Cecêu
Marcelo Oliveira

CD Tempo Escrito (2010)


"conheci esse mulato
Parecia um carrapato
Que era um prego no lombilho
Pra cumprir a "patacuada"
De bombacha remangada
Fez as honras pra o tordilho."

Nos dizeres do cêceu
Que seu mango era ateu
So a lua que era santa
Quando um urco renegado
O cêceu desaforado
Gineteava de tamanca

Com malevas na maneia
Esperando a lua cheia
Pra fazer essa façanha
Nas tamancas oitavado
O cêceu encorujado
Se lambia numa canha

Quando logo anoiteceu
Foi quem disse o dom cêceu
Que a lua se tardou
Enfrenando este duelo
O seu último martelo
Foi num gole que tomou

Assobiando o boi barroso
Com seu lenço já seboso
E um nó de maragato
Assim foi ao despacito
Contragadas no seu grito
Pois gaúcho era o mulato

O tordilho ronconeiro
Que por mal e caborteiro
Era "tronxo" de uma orelha
E o maula corcoveando
Já saiu esparramando
O bruxismo da gadelha

Uma toca de coruja
Um trodilho cara suja
Foi entao que se perdeu
Ecoava esse barulho
Tilintando o pedregulho
Das tamancas do cêceu

Quando logo anoiteceu
Foi quem disse o dom cêceu
Que a lua se tardou
Enfrenando este duelo
O seu último martelo
Foi num gole que tomou

Assobiando o boi barroso
Com seu lenço já seboso
E um nó de maragato
Assim foi ao despacito
Contragadas no seu grito
Pois gaúcho era o mulato

Compartilhe

(letra e música para ouvir) "conheci esse mulato parecia um carrapato que era um prego no lombilho pra cumprir a "patacuada"
Tempo Escrito de Marcelo Oliveira

Com uma trajetória de sucesso Marcelo Oliveira em seu CD Tempo Escrito, lançado em 2010, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Marcelo Oliveira.

Parceiros