Letra da música
Bailongo no Mato Grande
Luiz Marenco

CD Luiz Marenco canta Jayme Caetano Braun (1991)


Um par se vem. outro se vai, outro que fica
A gaita louca, se desmancha no salseiro
Salta faísca, com fumaça de candeeiro
E reverbera no cabelo da marica
A gaita velha muitas vezes é culpada
Do diz-que-diz-que nos bochinchos e segredos
Mas o gaiteiro, faz de conta e não diz nada
Porque ele sabe que os culpados são os dedos

(De cada china cada olhar é uma aripuca
Promessa linda que tonteia quando chama
Na vaneirita que se adoça e que derrama
Um céu de estrela nas pupilas da maruca)

Um galo canta, um cusco acoa, um touro berra
E na penumbra, a parceria se abaguala
O chinaredo farejou cheiro de terra
E há uma neblina galopeando pela sala
E a gaita xucra se aveluda se alonjura
Depois se amansa num soluço de ansiedade
E anda nos ares gaguejando uma saudade
Não há quem saiba de onde vem tanta ternura


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

CHINA: Mulher mameluca (primeira companheira do gaúcho).

CUSCO: Pequeno cachorro (o mesmo que guaipeca).

CHINAREDO: bordel; onde fica o chinaredo

Compartilhe

(letra e música para ouvir) um par se vem. outro se vai, outro que fica a gaita louca, se desmancha no salseiro salta faísca, com fumaça de candeeiro
Luiz Marenco canta Jayme Caetano Braun de Luiz Marenco

Com uma trajetória de sucesso Luiz Marenco em seu CD Luiz Marenco canta Jayme Caetano Braun, lançado em 1991, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Luiz Marenco.

Parceiros