Letra da música
Ainda Morro Disso
Gaúcho da Fronteira

LP Rio Grande de Sempre (1986)


Surgiu um comentário pelas ruas da cidade
Que o gaúcho da fronteira andava mal barbaridade
Que foi hospitalizado até com certa gravidade
Com cuca cheia de grilo e comendo muito pouco
E que andava meio louco de tanto pensar naquilo.

Sou um eterno apaixonado
Ninguém tem nada com isso
De tanto pensar naquilo
Ainda morro disso,
Ainda morro disso,
Ainda morro disso.

E o doutor me receitou vitamina e homeopatia
Fiquei hospitalizado, três, ou quatro, cinco dias,
Tomando chazinho preto com bolachinha maria
De remédio, meio quilo e da vida não te queixa
Que de vereda tu deixa de tanto pensar naquilo.

Quando estava internado me deu mais complicação
Quarenta graus de febre, vinte e picos de pressão
Como pulga de tapera, desinquieta o coração
Fugindo do meu estilo que sou um pobre vivente
E agitando minha gente de tanto pensar naquilo.

E hoje voltei a cantar e tô bueno barbaridade
Aqui deixo esse recado pra velhice e mocidade
Não se entregue pra essa doença que chama de saudade
Fique bem calmo e tranqüilo, os problemas dispareça
Tire ela da cabeça e nunca mais pense naquilo.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

GAÚCHO: Palavra de origem guarany, pois nessa língua não existe vocábulos com o som da letra “L”.

VIVENTE: Indivíduo, criatura, pessoa.

BUENO: Bom.

BARBARIDADE: Barbarismo; interjeição que exprime espanto, admiração.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) surgiu um comentário pelas ruas da cidade que o gaúcho da fronteira andava mal barbaridade que foi hospitalizado até com certa gravidade com cuca cheia de grilo e comendo muito pouco
Rio Grande de Sempre de Gaúcho da Fronteira

Com uma trajetória de sucesso Gaúcho da Fronteira em seu LP Rio Grande de Sempre, lançado em 1986, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Gaúcho da Fronteira.

Parceiros