Letra da música
Bugio Nativista
Wilson Paim

CD Wilson Paim Interpreta Salvador Lamberty Vol. 2 (1993)


O bugio nasceu na serra
C'oa bênção de São Martinho,
Estampa de cantador,
Aprendeu dançar sozinho.

Surgiu assim, pacholento,
Numa imponência de taita.
Se apresentou nos fandangos
No ronco de alguma gaita.

Canta, canta, minha gente
Que este galo é bom de crista!
Faz buracos no terreno
Neste bugio nativista.

Este canto é brasileiro,
Gaúcho por primazia...
Quando se toca um bugio
Não fica sala vazia!

O bugio desceu da serra
Para o corpo dos galpões,
Rumbeando ao fole da gaita,
Repontando as tradições.

Em soluços nativistas
Chora, canta e apaixona,
invadindo os corações
No som que sai das cordeonas.

O bugio nasceu nos ranchos,
Irmanando em convivências,
Germinando sons nativos
Se espalhou pelas querências.

Andou no lombo dos pingos,
De carreta e aeroplano,
Cruzando sangas e rios
Já chegou ao oceano.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) O bugio nasceu na serra Coa bênção de São Martinho, Estampa de cantador, Aprendeu dançar sozinho.
Wilson Paim Interpreta Salvador Lamberty Vol. 2 de Wilson Paim

Com uma trajetória de sucesso Wilson Paim em seu CD Wilson Paim Interpreta Salvador Lamberty Vol. 2, lançado em 1993, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Wilson Paim.

Parceiros