Letra da música
Avô Campeiro
Cesar Passarinho

LP Solito (1985)


Bigode branco retorcido e largo
Amarelado de palheiro e tempo
De ti lembro, meu avô campeiro,
Cerne angiqueiro grudado a raiz;
De rusilhonas, esporas lavradas,
Dois panos largos de bombacha griz.

Quando encilhavas, bem quebrado o cacho,
Se atiçava meu olhar guri;
E chuleando à tua estampa
A própria pampa eu enxergava em ti.

E o teu mouro, que ao bancar das rédeas
Ao teu entono se quedava igual,
Abaralhando aos floreios da coscoja
Me parecia ter o freio musical.

Avô camapeiro dos conselhos buenos,
Do meu petiço e do meu pão de mel...
Para mim tu fostes, meu avô campeiro,
Mescla de rei e de papai noel.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PALHEIRO: Cigarro feito de fumo-em-rama, cortado, picado, moído e enrolado em palha-de-milho.

BOMBACHA: Calça-larga abotoada na canela do gaúcho

PAMPA: Descampados cobertos de vegetação rasteira onde a vista se estende ao longe; compreende desde a Província da Pampa Austral, ao sul de Buenos Aires (Argentina) até os limites do RGS com o Estado de Stª Catarina (Brasil).

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Bigode branco retorcido e largo amarelado de palheiro e tempo de ti lembro, meu avô campeiro, cerne angiqueiro grudado a raiz;
Solito de Cesar Passarinho

Com uma trajetória de sucesso Cesar Passarinho em seu LP Solito, lançado em 1985, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Cesar Passarinho.

Parceiros