Letra da música
A Vida do Romão Vieira
Gildo de Freitas

LP Figueira Amiga (1982)


Me chamam ramão viera
Me considero um guri
Tenho dezenove anos
E já muito progredi
Meu pai era um capitão
Com nove anos perdi
Por isso o meu sofrimento
Já começou por ali
Lá nas terras missioneiras
Foi o lugar que eu nasci
E ao lado da minha mãe
Quatro anos convivi
A morte também a levou
Me deixando por aqui
E a minha irmã mais velha
Ficou de encarregada
Recebia do governo
E tratava a criançada
E eu meio assim de escapada
Resolvi pegar a ponta
Sai que nem mosca tonta
Num sentimento profundo
E me joguei contra o mundo
Pra viver por minha conta
Passou a ficar mais feio
Quando de casa sai
Dormindo em ranchos alheios
Só eu sei como me vi
As vezes que fui ralhado
Escutei não respondi
Sempre com bons pensamentos
E com bom procedimento
Lutei na vida e venci
E hoje graças a deus
Estou ganhando dinheiro
E seguindo meus estudos
Para ser bom brasileiro
Eu sou cumpridor da ordem
E gosto, do homem ordeiro
Por bondade e inteligência
Assumi a presidência
De chefe dos motoqueiros
Respeito a mulher casada
E a menina solteira
Eu acompanho o balanço
E gosto da brincadeira
Eu vivo na capital
Mas a minha terra natal
É na divisa da fronteira
E lá pra terra missioneira
Com todo desembaraço
Recebam lá o abraço
Do amigo ramão viera

Compartilhe

(letra e música para ouvir) a vida de ramão viera me chamam ramão viera me considero um guri tenho dezenove anos
Figueira Amiga de Gildo de Freitas

Com uma trajetória de sucesso Gildo de Freitas em seu LP Figueira Amiga, lançado em 1982, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Gildo de Freitas.

Parceiros