Letra da música
A Morte do Doradilho
Eco do Minuano e Bonitinho

CD Nossa Tradição (2010)


Quando entro em meu galpão vejo carona e lombilho
Meu doze braça no chão e a falta do doradilho
Que às vezes em volta do rancho deixava mascando o freio
É por isso que lhe digo, cavalo bom e amigo não se acha em qualquer rodeio.

(refrão)
Sou do sul, sou do rio grande
Sou tudo isso que falo
É triste ver um gaúcho
Quando perde o seu cavalo. (2x)

Lá em casa todos sentiram a falta do doradilho
Cavalo que eu amansei para o andar do meu filho
Muitas vez ficou na soga pastando em frente do rancho
Vejo minhas cordas na encilha, buçal, maneia e rendilha dependurada num gancho.

Sou do sul, sou do rio grande
Sou tudo isso que falo
É triste ver um gaúcho
Quando perde o seu cavalo. (2x)

Morreu meu pingo de raça, cavalo de estimação
Mas a saudade não passa no peito deste peão
Vejo lá na estrebaria o embornal com resto de milho
Sei que não foi por maldade e ainda sinto saudades do meu potro doradilho.

Sou do sul, sou do rio grande
Sou tudo isso que falo
É triste ver um gaúcho
Quando perde o seu cavalo. (4x)


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

GALPÃO: Tipo de edificação que com o rancho forma um conjunto habitacional no RGS; numa Estância ou numa Fazenda, abriga o alojamento da peonada solteira, os depósitos de rações, almoxarifados, apetrechos, aperos, galpão-do-fogo, etc.

BRAÇA: Medida do sistema sexagesimal; sendo linear é de 2,2m; sendo superficial é de “2,2m por uma légua (6.600m) = 14.520 m2”.

RANCHO: Primeira habitação erguida no Continente de São Pedro, edificada com material que abundava no local (leiva, torrão, pedra ou pau-a-pique e barreado), coberto com quincha.

SOGA: Corda de sisal.

PINGO: Afetivo de cavalo de estimação.

POTRO: Cavalo novo que ainda não levou lombilho.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Quando entro em meu galpão vejo carona e lombilhomeu doze braça no chão e a falta do doradilhoque às vezes em volta do rancho deixava mascando o freioÉ por isso que lhe digo, cavalo bom e amigo não se acha em qualquer rodeio.(refrão)sou do sul, sou do rio grandesou tudo isso que faloÉ triste ver um gaúchoquando perde o seu cavalo. (2x)lá em casa todos sentiram a falta do doradilhocavalo que eu amansei para o andar do meu filhomuitas vez ficou na soga pastando em frente do ranchovejo minhas cordas na encilha, buçal, maneia e rendilha dependurada num gancho.sou do sul, sou do rio grandesou tudo isso que faloÉ triste ver um gaúchoquando perde o seu cavalo. (2x)morreu meu pingo de raça, cavalo de estimaçãomas a saudade não passa no peito deste peãovejo lá na estrebaria o embornal com resto de milhosei que não foi por maldade e ainda sinto saudades do meu potro doradilho.sou do sul, sou do rio grandesou tudo isso que faloÉ triste ver um gaúchoquando perde o seu cavalo. (4x)
Nossa Tradição de Eco do Minuano e Bonitinho

Com uma trajetória de sucesso Eco do Minuano e Bonitinho em seu CD Nossa Tradição, lançado em 2010, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Eco do Minuano e Bonitinho.

Parceiros